Home » Como é feita a avaliação pré-operatória?

Como é feita a avaliação pré-operatória?

Clínica Médica ⋅ Atualizado em 12/04/2021

Você sabia que uma das funções do clínico é fazer a avaliação pré-operatória? Porém, o objetivo da avaliação pré-operatória não é liberar o paciente para um procedimento.

Na verdade, o clínico ajuda a avaliar os riscos e os benefícios juntamente com o paciente, família e cirurgião para tomar a decisão mais adequada.

Portanto, parte da avaliação pré-operatória é justamente traçar estratégias para minimizar os riscos de eventos adversos clínicos no intra e no pós-operatório.

Saiba do que consiste a avaliação pré-operatória

História clínica e exame físico

Geralmente, quando as pessoas pensam em avaliação pré-operatória, acham que se trata de avaliação de risco cardiovascular, mas não é apenas esse, existem outros riscos também.

A avaliação pré-operatória, que envolve história clínica e exame físico, é muito importante porque é a partir desse momento que podemos entender o histórico de saúde do paciente, se ele faz uso de algum medicamento que possa interferir no procedimento cirúrgico, se possui alguma alergia ou se tem histórico de reação a anestésicos.

Além do que foi explicado acima, também é importante para conhecermos os hábitos do paciente, como é sua capacidade funcional, se possui vícios, qual o histórico familiar e se já teve sangramentos prévios.

Muito mais importante do que um exame de coagulograma, por exemplo, é saber se o paciente tem histórico de sangramentos espontâneos ou de sangramentos exagerados após ferimentos, ou outros procedimentos cirúrgicos.

RELACIONADOS:

Sangue na urina é normal?
Sangue na urina é normal?

Neste vídeo, a Dra. Bernadete M. C. Ferreira CRM SP 142013, Nefrologista e Clínica Geral, explica que o sangue na urina, conhecido tecnicamente como hematúria, não é algo normal e deve ser investigado. Entenda por que assistindo ao vídeo.Sangue na urina é...

ler mais

Tipo de cirurgia

Nessa avaliação pré-operatória, também é muito importante saber o tipo de cirurgia que o paciente vai ser submetido. Por exemplo, se é uma cirurgia em sistema nervoso central ou ortopédica, se é uma cirurgia de pequeno, médio ou grande porte, se é uma cirurgia eletiva ou se é de urgência.

Para esclarecer melhor, as cirurgias eletivas são aquelas que podem ser programadas e as cirurgias de urgência são aquelas que possuem risco eminente de vida não sendo indicada a avaliação clínica prévia, apenas acompanhamento no pós-operatório.

Com todas essas informações em mãos, é possível solicitar exames laboratoriais, exames de imagem e às vezes exames funcionais.

Lembre-se que os exames precisam ser bastante criteriosos, por isso, não espere sair de uma avaliação pré-operatória com vários exames. Nem sempre o paciente precisa fazer coagulograma ou teste ergométrico antes da cirurgia.

Riscos que a avaliação pré-operatória avalia

Através de todas essas informações é possível avaliar:

  • risco cardiovascular;
  • risco pulmonar;
  • risco renal;
  • risco hepático;
  • risco de tromboembolismo venoso;
  • risco de delírio;
  • como controlar hipertensão e diabetes.

Com tudo isso, podemos traçamos estratégias para reduzir o risco de eventos adversos clínicos no pós-operatório.

A mensagem que gostaríamos de passar é a seguinte: se você for fazer uma cirurgia, procure um clínico e peça a avaliação pré-operatória.

Compartilhe este conteúdo e deixe seu comentário!

SOBRE O(A) AUTOR(A)

Dra. Bernadete Maria Coelho Ferreira CRM SP 142013, possui experiência na área de Clínica Médica, no manejo de pacientes que necessitam internação hospitalar, e nefrologia. Atuando principalmente nos seguintes temas: cuidados como um todo do paciente, interligando suas múltiplas patologias.

Últimos Posts

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + dezesseis =

× Agende sua consulta.