Logo | Chocair Médicos

Hipernatremia: o que é e como identificá-la?

Atualizado em 06/08/2021
Tempo de leitura: 5 min.
A Imagem Mostra Um Tubo Com Urina E Um Com Sangue.
Hipernatremia: O Que É E Como Identificá-La? 2

A hipernatremia é a mesma coisa que sódio alto no sangue. O sódio é um elemento químico representado pela sigla Na, que junto a outro elemento (cloro) compõe o NaCl (nosso sal de cozinha). É um elemento essencial ao nosso organismo e é importantíssimo para seu funcionamento adequado. Quando medimos o sódio, através de exame de sangue, e ele está alto, nós temos a hipernatremia. Ela é causada geralmente por um quadro de desidratação (falta de água no nosso organismo), e pode ser identificada pela presença de alguns sintomas, como sonolência, confusão mental e fraqueza. O diagnóstico indica a hipernatremia quando a concentração é superior a 145 mEq/L.

Quando a concentração de sódio se eleva demais o paciente sente sede, mecanismo este que nos protege contra a desidratação e consequentemente da hipernatremia. A hipernatremia pode ocorrer por falta de ingesta de água. Isso ocorre em pacientes que não estão com o seu mecanismo de sede íntegro, e isto pode ocorrer por vários motivos como em pacientes que estão em coma, pacientes que estão sedados, pacientes com demência, pacientes com sequela de AVC (derrame) ou em pacientes que não têm pronto acesso à água, como idosos que têm dificuldade para locomoção, bebezinhos que dependem dos outros para conseguir água. A hipernatremia também pode ocorrer pela perda excessiva de água do nosso organismo, como que quadros de diarréia, vômitos e diuréticos em excesso.

A hipernatremia costuma ser comum em pacientes que dão entrada na emergência dos hospitais e naqueles internados em unidades de terapia intensiva. Seja por causa da falta de acesso à água ou por perdas renais e extra renais.

Quer saber mais? Então continue lendo e confira:

O que é hipernatremia?

Nosso sangue é um fluido que contém diversos compostos diferentes. Sua base é a água, mas também encontramos oxigênio, nutrientes e diversas outras substâncias, incluindo partículas minerais que estão diluídas nele.

É por isso que nossa alimentação precisa ser balanceada, para trazer todos os elementos necessários ao nosso sangue e corpo. Também existe a necessidade de mantermos uma boa hidratação, a fim de garantir a diluição correta dos compostos. É diferente você diluir, por exemplo, uma colher cheia de sal em um copo de água e diluí-la em um balde cheio de água. A concentração de sódio no balde será bem menor, o sódio estará mais diluído.

No caso da hipernatremia, um aumento da concentração de sódio no sangue ocorre porque há uma redução da quantidade de água presente nele, ele está menos diluído em água.

Ou seja, a hipernatremia é caracterizada por um aumento da concentração de sódio no sangue, que é a quantidade desse mineral encontrado em cada litro de água plasmática, que é aquela que está presente na corrente sanguínea.

Quais são as causas da hipernatremia?

Apesar de o consumo excessivo de sódio trazer malefícios para a saúde, a hipernatremia tem suas causas em outros fatores e não no consumo excessivo de sal. Ela ocorre geralmente quando há uma perda excessiva de líquidos sem a sua reposição adequada. Então dizemos que, na verdade, a hipernatremia é um distúrbio de água.

Pessoas com diarreia ou vômito em excesso perdem bastante líquido, e se ele não for devidamente reposto, aumenta a quantidade de sódio. O mesmo se dá com aqueles que apresentam uma transpiração excessiva e aqueles que são portadores de doenças que nos fazem urinar em quantidade excessiva, por exemplo diabetes mellitus sem tratamento adequado e o diabetes insipidus.

Nesse último caso o problema está em uma produção excessiva de urina, podendo chegar a 20 litros por dia. Ocorre pela falta de ação de um hormônio que chama ADH, hormônio este que age no rim, e nos impede a não urinar em demasia, para não perder água excessivamente ,e sim, de uma maneira equilibrada. Existem doenças em que ocorre falta de produção deste hormônio e também doenças em que hormônio é produzido, mas ele não consegue agir de maneira adequada no rim, o rim fica insensível à presença deste hormônio.

A hipernatremia também pode ocorrer, ainda, em pessoas que sofreram grandes queimaduras ou que receberam soro com muito sódio durante uma internação hospitalar.

Como a hipernatremia é identificada?

Um dos sintomas iniciais da hipernatremia é o aumento da sede, e ela ocorre como um lindo reflexo do excesso de sódio no sangue. E isso ocorre através da percepção dos nossos osmostatos, estruturas localizadas em nosso corpo, mais especificamente em nosso cérebro. Eles funcionam como verdadeiros sensores, e ficam medindo a concentração do nosso sangue. Quando o sangue está com muito sódio, o osmostato percebe e dispara o mecanismo da sede, nos fazendo buscar água.

Quando a hipernatremia está mais grave ela traz consequências severas para o organismo. Isso porque acontecem alterações nas células cerebrais levando a uma disfunção desse órgão, como consequência, são percebidas manifestações como:

● fraqueza;
● sonolência;
● confusão mental;
● convulsões;
● aumento dos reflexos musculares.

Ainda nesses quadros graves, pacientes com hipernatremia podem entrar em coma, sendo assim, a hipernatremia precisa ser identificada e tratada o mais breve possível, antes que ela comece a provocar lesões no organismo.

Como a hipernatremia é tratada?

Para corrigir a hipernatremia o tratamento varia conforme a gravidade do quadro, indicada nos resultados do exame de sódio. Afinal, quanto maior a concentração dele, mais cuidadoso e urgente é o tratamento, para evitar as complicações.

Nos quadros em que a concentração de sódio ainda não está muito elevada, a hipernatremia pode ser tratada apenas aumentando a ingestão de água. Dessa forma, o organismo é reidratado e naturalmente acontece um equilíbrio na diluição desse mineral na corrente sanguínea.

Já para os pacientes em que a desidratação está um pouco mais intensa, somente a reposição por via oral pode não ser suficiente. Então, o especialista recomenda a hidratação intravenosa, ou seja, aquela feita por meio da administração de soro diretamente na veia.

Quando o indivíduo apresenta uma concentração muito alta de sódio e a hipernatremia está mais grave, é preciso ter cuidado na hora de equilibrar essa concentração, uma vez que grandes alterações podem trazer prejuízos para a sua saúde.

Embora a diluição excessiva deste mineral no sangue traga complicações para o cérebro, quando os níveis de sódio são reduzidos de uma forma muito rápida essa diferença também pode ser prejudicial, como o edema cerebral. Em alguns casos isso pode ser irreversível.

A hidratação do organismo deve ser feita com a reposição da água perdida, mas sem diluir excessivamente o mineral para alcançar gradativamente o equilíbrio.

Nos casos em que a hipernatremia é desencadeada por outras condições não é suficiente apenas reequilibrar as taxas de sódio na corrente sanguínea. Também é preciso investigar quais são as causas reais dessa condição, para que o problema de base receba o devido tratamento.

Isso porque nos casos de diabetes insípido, por exemplo, o organismo continuará produzindo um volume excessivo de urina e a hipernatremia vai se manifestar mais uma vez. E para aqueles que estão com quadro de vômitos ou diarreia, essas condições precisam ser controladas para que não haja mais perda de líquidos.

É possível prevenir a hipernatremia?

A principal forma de fazer a prevenção da hipernatremia é mantendo a hidratação adequada. Dessa forma, mantemos naturalmente o equilíbrio da composição sanguínea para que não haja picos de concentração do mineral.

Pessoas que trabalham em locais muito quentes, como operadores de caldeira, também aqueles que atuam em locais abertos e em exposição solar, os atletas e outras pessoas com risco de desidratação, precisam de um cuidado redobrado com a ingestão de água.

Crianças e idosos, principalmente, devem ser monitorados para ingerirem a quantidade ideal de água para assim evitar a desidratação. Recomenda-se a ingestão de cerca de 35ml de água por kg de peso, é claro que este número é uma média e a quantidade de água precisa ser individualizada ao organismo de cada e às suas perdas de água de acordo com a situação do dia a dia (ambientes quentes, maratonistas). Uma dica prática, é observar a coloração da nossa urina, quanto mais amarelo-escura, mais concentrada. O ideal é sempre ter uma urina clara e abundante.

Vale ressaltar que também existem doenças em que é necessário restringir água, pois o seu excesso também pode ser prejudicial. Em breve comentaremos também sobre este tema.

Tratar as doenças de base e que aumentam o risco de hipernatremia é fundamental, bem como a realização de exames periódicos quando existe o risco de esse problema se manifestar. Assim as alterações podem ser identificadas quando estiverem no começo, para que sejam realizadas as devidas intervenções precocemente.

O que achou do conteúdo de hoje? Deixe seu comentário!

SOBRE O(A) AUTOR(A)
Dra. Sara Mohrbacher CRM SP 146577, possui experiência na área de Clínica Médica, no manejo de pacientes que necessitam internação hospitalar, e nefrologia. Atuando principalmente nos seguintes temas: cuidados como um todo do paciente, interligando suas múltiplas patologias.
Saiba Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 13 / 10 / 21
Descubra se é mais vantajoso para o paciente com doença renal crônica continuar com as sessões de hemodiálise ou fazer o transplante de rim.
Ler Mais
 | 06 / 10 / 21
Você já precisou fazer um exame de creatinina? Entenda para que serve esse tipo de procedimento e qual é a importância dele.
Ler Mais
1 2 3 23
Receba as novidades
Inscreva-se ao lado e fique sabendo de novos conteúdos e informações úteis.
Logotipo | Chocair Médicos
(11) 3287-1010

Direitos reservados Clínica Chocair 2021 – Desenvolvido por Surya MKT